As particularidades da amizade

Meninas-amigas
Imagem de Free-Photos por Pixabay

Não sei você, mas eu, ao longo da vida, tive mais decepções de amizade do que amorosas. 

E você já se perguntou por que a gente se decepciona tanto com as pessoas, principalmente, com amigos?

Bem, eu demorei pra encontrar uma resposta, mas acho que agora – só agora, depois de adulta – entendi.

Quando a gente é criança geralmente encontra uma pessoa e passa a chamá-la de melhor amiga. Ela torna nossa companheira, confidente, parceira, conselheira… tudo. E a gente cresce (mal) acostumado com a ideia de que ser amigo é ser tudo. A gente se acostuma com o ideal de que amigo é aquela pessoa completa.

A realidade, porém, é um pouco diferente. Porque existem diversos tipos de amigos, com características únicas e específicas.

Existe, por exemplo, aquele amigo que te faz rir, que te coloca pra cima, que é ótimo pra te ajudar a esquecer os problemas. Existe aquele amigo que é bom em te ajudar a resolver os problemas.

Existe aquele amigo que é bom pra sair, curtir, festejar. Existe aquele amigo que é bom pra ficar com você em casa assistindo série.

Existe aquele amigo que é um ótimo ouvinte. Existe aquele amigo que é um excelente falador.

Existem amigos pra quem a gente conta tudo e amigos pra quem a gente conta algumas coisas. Existem amigos que sabem mais da nossa vida do que a gente. Existem amigos que sabem só o essencial.

E não tem nada de errado nisso. Errado é a gente acreditar que amigo precisa ser tudo, fazer tudo.

O amigo pra quem a gente conta tudo não é melhor ou mais importante do que aquele que a gente conta algumas coisas. São só pessoas diferentes. São amizades particulares.

Muitas das nossas frustrações com amigos vêm, justamente, desse desejo de colocar sob os ombros de uma única pessoa a responsabilidade de ser e ter o “pacote completo da amizade”.

E aí você conta um segredo para aquele amigo que não sabe guardar segredo. E aí você pede um conselho pra aquele amigo que não sabe aconselhar. E aí… você se decepciona. Mas não é ele que tá errado. E você que não soube ver que tipo de amigo ele ou ela é.

São raras as pessoas que pessoas que te apoiam, incentivam, defendem. Pessoas que oram e torcem por você. Pessoas que te fazem rir e enxugam suas lágrimas. Pessoas que te abraçam e impulsionam, pessoas que dá pra confiar. Pessoas que dá pra contar tudo e contar sempre.

E, de novo, tudo bem.

Não exija e não espere que todos os seus amigos sejam assim. Entenda e respeite quem eles são, como eles são.

Amigos são pequenas porções de alegria. Cada um deles tem, ao seu modo, poder de cura. Precisamos compreender o lugar de cada um. Não no coração, pois no coração há espaço para todos. Também não falo de espaço de importância, pois não existe hierarquia de amizade e, portanto, todos ocupam a mesma posição de carinho.

Falo do lugar na vida.

Porque existem amigos pra vida. Existem amigos para momentos. Os dois são igualmente importantes. Os dois fazem parte da nossa vida.

Publicado por Bianca Coutinho Lopes

Dois verbos me definem: ler e escrever. Sou uma devoradora de livros e criadora de histórias, dona de imaginação infalível e criatividade incansável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: