NÃO seja um sabotador; SEJA um FACILITADOR

Imagem de Pexels por Pixabay

A vida é uma oportunidade. Para alguns ela é mais branda, com outros ela é mais severa.

E cada um de nós, ao longo da vida, trilha um caminho, percorre uma estrada, constrói castelos e carreiras. Cada um a seu modo, cada um no seu tempo.

Durante a nossa caminhada encontramos buracos, dificuldades, enfrentamos tempestades e dilúvios. Somos pegos de surpresa, caímos, nos perdemos.

E essa trilha, esse caminho, essa estrada que estamos percorrendo, apesar de ser muito particular, já que cada um a faz de uma maneira, não é exclusiva. Tem outras pessoas no caminho, pessoal.

Pessoas que não necessariamente estão buscando o mesmo que você, pessoas que não estão necessariamente no mesmo barco. Mas que, de um jeito ou de outro, vão passar por momentos – e pelos mesmos trajetos – que você.

E quem são essas pessoas? Pode ser qualquer um. Sua irmã, seu colega de trabalho, sua namorada.

Onde estão essas pessoas? Em todo o lugar. Dentro da sua casa, no seu bairro, no seu trabalho.

Não seja a pessoa que chegou aonde queria chegar, ou que está mais a frente das outras e esquece de olhar pra trás. Não seja a pessoa que sabe que depois daquela curva tem uma cobra à espreita, e não diz nada. Não seja a pessoa que sabe que à esquerda tem um buraco enorme, e finge não ver nada. Não seja a pessoa que sabe que à direita tem um muro cheio de espinhos e não faz nada.

Não seja um sabotador.

Não seja a pessoa que diz “eu não dou o peixe, eu ensino a pescar”, quando na verdade você joga pessoas ao mar, torcendo para que saibam nadar e que não sejam devoradas pelos tubarões.

 Se você pode ajudar, ajude. Se você pode orientar, oriente. Se você pode instruir, instrua. Se você pode colaborar, colabore.

Seja um facilitador.

Seja aquela pessoa que mostra o melhor caminho, que compartilha experiências, que divide aprendizado.

Sim, vivemos em um mundo competitivo. Porém estender a mão para o outro, contribuir com seu crescimento pessoal ou profissional, não vai retardar ou impedir que você chegue aonde quer chegar. Pelo contrário, vai te ajudar a chegar lá melhor. Um profissional melhor, um pai melhor, um amigo melhor. Uma pessoa melhor.

Seja alguém que expõe as próprias cicatrizes e diz: eu caí aqui. Eu me machuquei nesse pedaço do caminho, porque não sabia do perigo. Então tome cuidado.

É claro que a escolha de ouvir ou não, seguir ou não, cabe a cada um. Mas é assim que se “ensina a pescar”. É apresentando o ambiente, mostrando o cuidado necessário com o anzol, demonstrando o movimento o correto, indicando como segurar a vara, sinalizando o melhor local, dando exemplo de paciência.

Carlos Drummond dizia:

“No meio do caminho tinha uma pedra
Tinha uma pedra no meio do caminho
Tinha uma pedra
No meio do caminho tinha uma pedra”

Não seja um sabotador egoísta que em um silêncio perverso observa o outro tropeçar e cair.

Seja o facilitador que coopera para o sucesso dos outros, e com consciência e humildade diz:

“Olha, ali, no meio do caminho, tem uma pedra”.

Publicado por Bianca Coutinho Lopes

Dois verbos me definem: ler e escrever. Sou uma devoradora de livros e criadora de histórias, dona de imaginação infalível e criatividade incansável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: