A responsabilidade – e pressão – do 3° ano do Ensino Médio: decidindo o futuro aos 17 anos (?)

Sei que nesse exato momento há centenas de jovens que estão se preparando para o ENEM e Vestibular. E se você é essa pessoa ou se conhece alguém que está vivendo esse momento, leia com atenção: você não precisa decidir seu futuro agora. Sim, eu sei que dizem que você precisa iniciar um curso superiorContinuar lendo “A responsabilidade – e pressão – do 3° ano do Ensino Médio: decidindo o futuro aos 17 anos (?)”

O dia em que eu tirei 0 em Redação – O dia em que eu aprendi a aprender

Não, você não leu errado. Eu, que escrevo livros desde os dez anos, eu, que fui tricampeão no Desafio de Redação do Grande ABC, eu que vivo de leitura e escrita, já zerei uma redação. Pode parecer vergonhoso compartilhar esse tipo de coisa, mas a verdade é que esse momento foi crucial na minha vida.Continuar lendo “O dia em que eu tirei 0 em Redação – O dia em que eu aprendi a aprender”

A facilidade de julgar o trabalho do outro como “fácil”

Não sei se isso acontece com frequência na profissão de vocês, mas na minha acontece muito. Sou formada em Relações Públicas e, atualmente, trabalho como Produtora de Conteúdo. No caso de ambas as áreas, é interessante (apavorante e irritante) ver como as pessoas creem que qualquer um pode fazer o que eu faço. Eles acreditamContinuar lendo “A facilidade de julgar o trabalho do outro como “fácil””

Obcecados por números

Não tenho muitos seguidores no Instagram. Não tenho tantas conexões no Linkedin. Não tenho um grande número de inscritos no meu blog. E, apesar de essas plataformas serem bem diferentes, existia algo em comum entre elas e que me deixava ansiosa e desconfortável: os números. A impressão que tenho é que quando a gente fazContinuar lendo “Obcecados por números”

10 dicas para adquirir o hábito da leitura

Adquirir novos hábitos nunca é fácil, mas, desde que exista determinação e disciplina, tudo é possível. Este texto é para todos: os que já gostam de ler, porém não conseguem fazer da leitura parte da sua vida, e para aqueles que (ainda) não gostam de ler. Dica 1) Não aceite a ideia de que éContinuar lendo “10 dicas para adquirir o hábito da leitura”

Confissões de uma leitora – Por que o brasileiro não lê?

Exceção à regra Eu não tinha nem cinco anos quando ganhei meu primeiro livro. Eu não sabia ler, é claro, mas me apaixonei por histórias. Por ouvir histórias, depois por ler histórias, e, por último, por contar e criar histórias. Cresci rodeada por livros. Cresci com sereias, dragões, príncipes, princesas, fadas, vampiros, semideuses, heróis eContinuar lendo “Confissões de uma leitora – Por que o brasileiro não lê?”

Competitividade feminina e a síndrome da Rainha Má

Tive duas melhores amigas até os meus quinze anos. Por algum tempo – e por razões que eu desconhecia – não conseguia ter amizade com mulheres. Hoje tenho o privilégio de contar com amigas incríveis, mulheres fortes, independentes e maravilhosas, mas a minha relação com elas só foi possível após um longo processo de construçãoContinuar lendo “Competitividade feminina e a síndrome da Rainha Má”

Redes sociais: um campo de comparações

Os dedos dela correm ligeiros para desligar o despertador que grita. Ela mal abriu os olhos quando abre o Instagram. Mesmo sonolenta, consegue ver o café da manhã incrível que sua prima compartilhou no story. Mesmo sonolenta consegue ver que a vizinha já fez sua corrida matinal e yoga. Mesmo sonolenta consegue ver a fotoContinuar lendo “Redes sociais: um campo de comparações”

Como conviver com a dúvida (?)

Sou uma pessoa movida por certezas. Sou guiada pelo certo, normalmente dispenso o duvidoso. Me sinto mais tranquila quando sei exatamente o que está acontecendo. Mais confortável se sei o que vai acontecer no dia seguinte, na semana seguinte ou no mês seguinte. Eu planejo. Eu penso. Eu repenso. Eu refaço. Eu calculo. Eu meço.Continuar lendo “Como conviver com a dúvida (?)”

Impactos da atividade física na minha vida (pessoal e profissional)

Nunca fui uma pessoa sedentária. Também nunca fui o tipo de pessoa que ama esporte. Na época de escola, quando Educação Física ainda era sinônimo de brincar de pega pega, bandeirinha e queimada, eu amava. Mas, quando Educação Física passou a significar futebol, basquete e vôlei, diria que passei a odiá-la quase tanto quanto odeioContinuar lendo “Impactos da atividade física na minha vida (pessoal e profissional)”