Por que antifrágil?

Máquina de escrever

Sempre acreditei no poder das palavras. Quando escrevo meus livros, chego a passar horas decidindo o nome ideal, aquele que é mais adequado, que mais combina com a personalidade e reflete a essência do personagem, bem como o título que melhor resume e traduz a história.

Não poderia, portanto, ser diferente na escolha do nome do blog. Eu precisava de um nome que representasse quem sou e o que acredito. Felizmente eu já sabia (e sentia) qual era o meu objetivo e o nome surgiu para somar propósito.

Criei esse blog com a finalidade de colocar a vida em palavras e de dar vida às palavras. Criei esse blog para expressar sentimentos, compartilhar ideias, dividir experiências, manifestar opiniões, revelar dores, questionar ideais, debater convicções, reconsiderar certezas. E, é claro, demonstrar fragilidade. Porque o antifrágil não é sobre não ser frágil. A antifragilidade não é sobre não sentir.

Antifrágil é aquele que consegue superar as mudanças, muitas vezes indesejadas e inesperadas. Antifrágil é aquele que consegue aprender com os erros.
Antifragilidade é sobre crescer e melhorar diante dos obstáculos e das adversidades da vida.

Com textos cujos temas variam entre comportamento humano, literatura, amor, trabalho, família, amizade, comunicação, dicas de escrita, carreira, poesias, contos, crônicas, dentre outros, esse espaço é dedicado a minha trajetória para me tornar antifrágil. Esse espaço é para aqueles que, assim como eu, buscam a antifragilidade.

Minha missão é fazer com que a cada final de leitura, você possa aprender algo novo. Minha missão é te inspirar, emocionar, fazer pensar e repensar. Minha missão é oferecer um espaço onde todos nós, a começar de mim, possamos ser, sobretudo, humanos.

%d blogueiros gostam disto: